e-Bike

Uma bicicleta elétrica é uma bicicleta equipada com um motor elétrico numa das rodas e uma bateria lítio de última geração que faz o que a sua congénere não consegue, ajudá-lo nas deslocações citadinas ou rurais, podendo eliminar qualquer tipo de esforço.

Com uma bicicleta elétrica consegues fazer sem dificuldade subidas íngremes, uma vez que a bateria elétrica ativa um motor que faz o esforço da subida por ti, podes viajar sem teres que dar aos pedais, embora o possas fazer. Quanto à legislação em vigor, a e-Bike está na categoria de bicicletas normais e é abrangida por todas as suas leis de circulação. Não necessita de carta, de seguro, pode circular nas ciclovias, pode ser transportada na maioria dos transportes públicos, etc. a única diferença é da velocidade que não pode exceder os 25km/h.

Se há algum tempo os ciclistas que andavam nestas bikes eram considerados trapaceiros e as próprias bicicletas robustas e feias, agora as e-Bikes estão a ganhar um design mais natural, não fazendo com que os ciclistas de e-bikes deixem de ser trapaceiros mas fazem com que consigamos aproveitar ao máximo um passeio sem o suor e o esforço numa bicicleta normal.

Concordamos todos que o ciclismo é um ótimo passatempo, é grátis (após a compra da bicicleta e sem contar com gastos posteriores), faz bem à saúde e ao ambiente quando substitui um carro e em muitos casos mais rápido que os carros.

Fabricantes como a Bosch e a Yamaha optam por uma abordagem mais potente, com todo o motor e unidade de sensor situados em torno das manivelas da bicicleta, o que significa que os estilos de quadros mais atrativos e aerodinamicamente avançados podem ser modelados.

Existem tantas e-biles e para tantos estilos diferentes que podia escrever um artigo todos os dias, em cada dia colocar 10 e-bikes e os artigos eram infinitos!

Para quem gosta de andar em todo o terreno a Machina Lycan 275 da KTM é o ideal. É uma e-bike com rodas de 27,5 polegadas e quadro em alumínio, sem esquecer as suspensões dianteira e traseira RockShock Recon SL e Monarch SL. No que toca ao sistemas elétrico são três elementos da Bosch: o motor Performance Line CX de 36 v e 250W, a consola Purion Display e a bateria Powerpack 500 Wh.

Continuando no ramo das e-bikes de todo o terreno ( e esta também para montanha) temos a Haibike Sduro Trekking. Esta marca alemã é uma marca muito respeitada entre o mercado de e-bikes. Tem uma autonomia de 124km e não é tão potente nos 15km/h quanto a Vanmoof. Esta e-bike no entanto tem uma data de configurações. Desde um motor Yamaha PW até um motor Bosch Active Line Plus. Mas em todas as configurações temos muita velocidade e modos de condução desportivos.

Já a melhor para andar pela cidade é a Vanmoof Electrified S2 que consegue ter uma autonomia de 55 a 140km, com um velocidade cruzeiro de até 24 km/h. Esta e-bike conta com um sistema de antiroubo que aciona um sinal SOS emitido pelas luzes e claro manda imediatamente uma notificação para o teu smartphone assim que alguém tocar nela ou tirá-la do sitio onde está. Outra das tecnologias que também incorpora esta e-bike é capacidade de te criar uma ilusão, pois ela consegue ser suficientemente inteligente para detetar o ritmo da tua pedalada, dando mais velocidade à bicicleta e fazendo-te pensar que tu é que estás a fazer o trabalho todo.

A BMW também está a entrar no mercado de bicicletas elétricas. A marca alemã está a fazer uma grande aposta nos automóveis elétricos e planeia lançar 12 automóveis totalmente elétricos em 2025. Mas para além de carros, a empresa está a desenvolver bicicletas elétricas. A BMW tem como vantagem poder aplicar o know-how, a tecnologia que utiliza nos seus automóveis às bicicletas. A empresa já lançou coleções como a BMW Cruise ou a BMW Active Hybrid (que tem uma autonomia de cerca de 100km).

Mas não é só a BMW que está a apostar neste mercado, também Audi tem a sua e-Bike. A marca alemã tem um concept com um motor de 3cv, design à lá Audi, alta performance, carrega em 2h 30min, estrutura em fibra de carbono (reforçada com polímeros CFRP), conseguindo um peso de 11 kgs e, graças a este equilíbrio técnico,  permite viajar durante 70 quilómetros a uma velocidade máxima de 80kms/h.

A bicicleta traz um software que permite alterações comportamentais e modos de condução, para um modo mais radical ou mais confortável. A bicicleta conta ainda com um sistema que comnsegue equilibrar a e-bike num compartimento mais radical! As rodas são de 26” e têm raios iluminados concebidos para aproveitar a energia de cada pedalada. O ecrã é toutch, iluminado também por leds e permite ao ciclista escolher os modos de comportamento.

Pensamento à frente

No futuro acredito que as e-bikes terão mais autonomia, talvez 150 ou 200km. E vão-se carregar sem fios, teremos postos de carregamento espalhados pelas ciclovias. No entanto estas e-bikes contradizem totalmente o conceito de “andar de bicicleta faz bem à saúde”, porque uma empresa chinesa está a trabalhar numa e-bike totalmente inteligente, neste momento ainda não anda sozinha, só faz o tracking da tua atividade e ajuda-te a bater os teus objetivos, mas no futuro o objetivo da empresa é mesmo que a bike guie sozinha. O que quer dizer que no futuro, vamos poder andar de bicicleta a ver uma série no ecrã (que vai trazer decerteza), chegar-mos a casa depois de termos feito 50km de bicicleta e estarmos em ótimo estado! O futuro é incrível, e digo isto num bom e mau sentido!

Anúncios
%d bloggers like this: